domingo, 12 de fevereiro de 2012

Desapego

   Como é engraçado, uma frase é dita ou um simples fato acontece e pronto, está desencadeado o processo, queira você ou não a sua vida vai mudar.
   Creio que o ponto decisivo é aceitar ou não, isso que começou independente de sua vontade.
   Pois é, aceitei!!

   Já passei por muitas mudanças em muitas fases diferentes da minha vida e por vários motivos distintos. Não que agora, tenha acontecido algo grave, simplesmente as coisas começaram a se encaminhar de uma forma muito diferente do habitual e resolvi lidar com isso naturalmente, como se tudo ainda estivesse em seu devido lugar, quem sabe  realmente tudo foi para onde devia estar?? Não sei dizer ainda.
   O que mais me admirou dessa vez é que resolvi naturalmente, praticar o desapego, resolvi organizar minha vida e minha casa e comecei a perceber que as coisas que acumulamos nem sempre servem para contar a nossa história, na grande maioria das vezes servem mesmo para ocupar nossos espaços e desorganizar nosso universo.

   Já ouve um tempo em que achava que guardar as coisas me manteria ligada aquela situação que eu não gostaria que mudasse, ledo engano, o que me liga as coisas é meu coração e o que me afasta delas é o que não cabe mais nele.

   Então mãos a obra...o que não me serve mais tem utilidade a muita gente, vamos lá, organizar, limpar, reciclar, consertar, lavar, doar, remanejar e jogar fora.
   Vi que se quero coisas novas preciso ter espaço para que elas entrem na minha vida, então praticamente todo o mês de janeiro tenho feito exatamente isso, selecionando com calma e cuidado para ver o que realmente quero e o que não me serve mais e para quem essas coisas serão úteis.
   Estou abrindo espaços nos armários, nos cômodos e na casa, e por incrível que pareça estou abrindo espaço inclusive no meu tempo para incluir coisas que gosto.
   Me desapeguei também de funções que estavam me incomodando e incorporei outras que podem ser que me incomodem em outro tempo, mas dai resolvo depois.

   Por incrível que possa parecer o espaço já se fez e as coisas novas e deliciosas já começaram a acontecer e olha que nem terminei de mexer em todos os lugares que quero!
   
   Como diz a música:
"...hoje joguei tanta coisa fora, cartas e fotografias, gente que foi embora, a casa fica bem melhor assim...vendo a Lua aquela claridade aonde o homem flutua, merecia visita não de militares, mas de bailarinas e de você e eu..."


2 comentários:

Nédier disse...

Cláudia!! que lindo está teu blog. Há algum tempo estou afastada da net. Fiquei deslumbrada com a beleza dos teus textos e fotos. Beijo, Nédier

Kênia Silva disse...

Claudia,
vamos combinar sim! beijos